sexta-feira, 13 de setembro de 2019

Rainhas do Rádio



Criado pela Associação Brasileira de Rádio para arrecadar fundos para a construção de um hospital, a primeira premiação ocorreu em 1937 no Iate Laranjeiras, um barco carnavalesco ancorado na Esplanada do Castelo, no Rio de Janeiro. Linda Batista foi a campeã e reteve o título por onze anos, até que foram realizadas novas votações.
A eleição de 1949 marcou uma das maiores rivalidades da histórias da MPB: Marlene e Emilinha Borba. Marlene foi procurada pela Antarctica, que estava lançando o Guaraná Caçulinha. Para promover a marca, a empresa lhe deu um cheque em branco para que ela comprasse quantas revistas e votos fossem necessários. Marlene foi eleita com 529.982 votos. Emilinha era uma candidata forte, mas ficou em terceiro lugar, depois de Ademilde Fonseca.
Marlene manteve o título em 1950, entregando-o no ano seguinte para Dalva de Oliveira. Emilinha o venceria apenas em 1953. Neste ano, a Revista do Rádio passou a fazer eleições estaduais. Alguns estados passaram a ter seus próprios reis e rainhas.



No Rio, o primeiro cantor a ser eleito Rei do Rádio foi Francisco Carlos, em 1958.




O rádio de São Paulo realizou o concurso apenas uma vez, em 1953. Elegendo Isaura Garcia.

Artigos Relacionados

0 comentários:

Postar um comentário