sexta-feira, 1 de setembro de 2017

Previsão é de FM estendido já no 2° semestre de 2018

Durante o SET Expo 2017, um tema chamou a atenção: a liberação da faixa 700 MHz e a possibilidade de uso do FM estendido (que será usado para a migração AM-FM nos centros de maior concentração de canais em FM, como é o caso de Curitiba), previsto para 2018, com o desligamento do sinal da TV analógica. A previsão foi citada pelo superintendente de outorga e recurso à prestação da Anatel, Vítor Elísio Góis de Oliveira Menezes. Também foram informados detalhes sobre o decreto que tem como meta a simplificação do uso do espectro.
A secretaria do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Vanda Jugurtha Bonna Nogueira, afirmou que há uma movimentação do MCTIC em favor da faixa estendida, com reuniões entre o ministro Gilberto Kassab e representantes das áreas de comércio, com a finalidade de promover a produção e disponibilidade de receptores aptos a captarem a faixa estendida. A secretaria disse que o ideal é “parar de mendigar um espaço no FM convencional”, com reduções de potências para a acomodação das migrantes do espectro.
Vanda explicou ainda que o radiodifusor tem medo da faixa estendida, mas que isso deverá ser superado com a popularização dos receptores com FMe. A secretaria diz acreditar nesse processo, já que há esforço nesse sentido. Já a revisão para a acomodação das AMs que perderam o prazo está previsto para o este segundo semestre de 2017. A intenção é incluir os radiodifusores que, por algum motivo, perderam o prazo para aderir o processo.

Revisão da Regulamentação Técnica de Radiodifusão
A Anatel está em estudo para a implementação da “Revisão da Regulamentação Técnica de Radiodifusão”, encarada como uma modernização do setor. Para o rádio, os principais pontos serão:
Para FM:
> Extensão da faixa FM para os canais 5 e 6 (canalização e condições de uso) – FMe para a migração das AMs
> Atualizar Relações de Proteção (retirada de interferência de segundo adjacente e de critérios de batimentos de frequências intermediárias).
> Revisar os critérios de compatibilidade com o serviço de RADCOM
Para AM:
> Alterar classificação das estações para flexibilizar a coordenação internacional
> Simplificar a metodologia para cálculos de viabilidade

Fonte: Tudo Rádio

Artigos Relacionados

0 comentários:

Postar um comentário