sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Há 150 anos nascia o inventor do rádio no Brasil

No dia 21 de janeiro, foi comemorado o aniversário de 150 anos do inventor do rádio, o Padre gaúcho Roberto Landell de Moura.
Roberto Landell de Moura é considerado o pai brasileiro do rádio, pois não foi conhecido mundialmente como o principal inventor do rádio. Foi pioneiro na transmissão da voz humana sem fio (radioemissão e telefonia por radio) antes mesmo que outros inventores, como o canadense Reginald Fessenden (dezembro de 1900).
Pelo seu pioneirismo, o Padre Landell é o patrono dos radioamadores do Brasil. A Fundação Educacional Padre Landell de Moura foi assim batizada em sua homenagem, assim como o CPqD (Centro de Pesquisas e Desenvolvimento) criado pela Telebrás em 1976, foi batizado de “Roberto Landell de Moura”.
O Padre Landell realizou experiências a partir de 1892 e 1893, em Campinas e em São Paulo. O jornal “O Estado de S. Paulo” noticiou que, em 1899, ele transmitiu a voz humana a partir do Colégio das Irmãs de São José, hoje Colégio Santana, no alto do bairro Santana, zona norte da capital paulista. Também efetuou demonstrações públicas de seu invento no dia 3 de junho de 1900 sendo noticiada pelo “Jormal do Commercio” de 10 de junho de 1900.
Ao invés de ser incentivado a prosseguir na carreira triunfal, a imprensa e o governo brasileiro, na época, fizeram pouco ou quase nenhum caso de seus notáveis inventos. Também foi visto pela população como “herege”, “impostor”, “bruxo”, “padre renegado” por seus experimentos envolvendo transmissões de rádio. Ao voltar para a paróquia, ao retornar de uma visita a um doente, o Padre encontrou a porta da casa paroquial arrebentada e seu laboratório e instrumentos completamente destruídos.
Em um registro de uma pesquisa para doutorado na USP, em 1999, o autor da pesquisa Francisco Assis de Queiroz, publicou que em junho de 1900, Landell de Moura pretendeu doar seus inventos ao governo britânico. Em 1905, ao retornar ao Brasil, depois de estar por três anos nos Estados Unidos, enviou uma carta ao então presidente da República, Rodrigues Alves, solicitando dois navios da esquadra de guerra para demonstrar os seus inventos que revolucionariam a comunicação. Mas o assistente do presidente, considerou Landell como um “louco” e o pedido foi negado.
Na Itália, quando Landell fez um pedido semelhante, teve toda a esquadra à disposição.
Em 9 de março de 1901, Landell obteve para seus inventos, a patente brasileira número 3.279. Poucos meses depois seguiu para os Estados Unidos, e em 4 de outubro de 1901 deu entrada no The Patent Office of Washington, DC pedindo privilégio para as suas invenções, tendo obtido, em 11 de outubro de 1904 a patente 771.917, para um transmissor de ondas; em 22 de novembro de 1904, a patente 775.337 para o telefone sem fio e a 775.846 para um telégrafo sem fio.

Fonte: Agência RadioWeb, http://www.aminharadio.com/radio/biografia_landell (Biografia de Landell de Moura).

Artigos Relacionados

0 comentários:

Postar um comentário